10 Princípios de um Bom Design (de Dieter Rams)

Posted on
Menos, mas melhor. Design less but better - Dieter Rams

O constante aceleramento da tecnologia e das mudanças sociais traz a sensação de que sempre estamos em busca de mais.

Mais curtidas, mais conteúdo, mais aprendizado, mais dados, mais velocidade, mais eficiência, mais aquisições, mais experiências… E isso é ainda mais evidente dentro da internet.

Quando essa busca por mais acontece, é difícil pensar a longo prazo nos impactos que isso pode causar.

O 10 princípios do bom design de Dieter Rams, um dos designers industriais mais relevantes do século XX, nos ajudam a criar coisas mais bem pensadas, com uma qualidade maior, duradoura e resiliente.

Rams acredita que menos, porém melhor, é o caminho para o bom design. Pensar na simplificação e nas pessoas torna o produto ainda melhor e com garantia de um impacto positivo ao longo prazo.

Leia também: Como desenvolver o bom olhar para o design

Menos, mas melhor. Design less but better - Dieter Rams

Resumidamente, trouxemos os 10 princípios do bom design, segundo Rams:

O bom design é inovador

Não podemos considerar as possibilidades de inovação como algo já esgotado. Com o desenvolvimento tecnológico a todo vapor, não faltam oportunidades para um design inovador.

Um bom design torna um produto útil

Um produto precisa ser criado para ter uma funcionalidade clara e, além disso, deve satisfazer critérios psicológicos e estéticos também. Um bom design pode enfatizar a utilidade de um produto e, ao mesmo tempo, desconsiderar qualquer coisa que possa prejudicá-lo.

Bom design é estético

A estética precisa estar aliada à funcionalidade. Os produtos que usamos todos os dias afetam nossa pessoa e nosso bem-estar. Mas apenas objetos bem executados podem ser bonitos.

Um bom design torna um produto compreensível

Torne o seu produto autoexplicativo. Se o seu produto precisa de muitas explicações para ser compreendido, então ele não é um bom produto. 

Bom design é discreto

Um design deve ser neutro e restrito, para deixar espaço para a autoexpressão do usuário. O seu produto não é pensado para ser uma obra de arte, mas sim para ser funcional.

Bom design é honesto

Ser honesto é não tentar manipular o consumidor com promessas que não podem ser cumpridas.

Bom design é duradouro

A atemporalidade é a palavra-chave. Pensar em um produto que não é criado e pensado apenas pela moda e, dessa forma, nunca vai parecer antiquado.

Um bom design é minucioso 

O cuidado e a precisão no processo de design mostram respeito para com o usuário, nada deve ser arbitrário ou deixado ao acaso.

Um bom design é sustentável

Lembra que falamos sobre os impactos a longo prazo? O design é uma importante contribuição para a preservação do meio ambiente. Ele conserva recursos e minimiza a poluição física e visual durante todo o ciclo de vida do produto, é importante que ele seja pensado e considerado para tornar-se um bom design.

Um bom design é o mínimo possível

Menos, mas melhor – Concentra os aspectos essenciais e os produtos não são sobrecarregados com o não essencial. Pensado para ser algo simples, atemporal, funcional e melhor.

Um bom design importa, e vai além de interfaces digitais e produtos esteticamente bonitos. Tudo é design

Ter um bom design pode melhorar a qualidade de vida e impressões de um usuário, e quando o contrário acontece, o mau design pode gerar frustrações e desmotivação.

Para trazer ainda mais essa imersão sobre o tema, deixo como indicação o livro do Donald Norman, O Design do Dia a Dia, que vai ajudar você a entender ainda mais como pensar na construção do bom design.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You May Also Like