Aprenda como escolher a fonte certa – Parte 2

Como no outro post “Fonte Certa Parte 1” falei um pouco da fonte Serifada, agora é a vez da Aserifada. Vou citar algumas das fontes que todo designer deveria ter conhecimento e não são tão comuns.

Obs.: Não vou citar as mais usadas, que já são comuns, como Helvetica, Verdana, Myriad, entre outras.

 

Sem serifas

É bem comum encontrarmos as fontes sem serifas hoje em dia. Geralmente são usadas pra proporcinar um impacto maior, um visual mais clean. Essas fontes são bem mais flexíveis do que as demais, e realmente mais ‘ecléticas’. O conceito básico das fontes é a base reta, que até mesmo facilita se você for criar também.

Fontes sem serifas possuem leveza, suavidade e são aconselhadas aplicar em layouts que precisam de clareza e respiro. Um título por exemplo, ou mesmo texto corrido muito longo, onde facilita bem a leitura rápida. Mas lembre-se, isso não se aplica a tudo, sempre há exceções.

Frutiger

Garanto que é conhecida pela maioria designers. É uma fonte simples, limpa e de fácil leitura. É antiga, mas utilizada até hoje por ser uma boa opção para projetos que exigem muito espaço, e também funciona bem em espaços pequenos. Por exemplo, ela é utilizada na comunicação do Aeroporto da França.

________________________________________________________________________

 

Trade Gothic

É considerada uma fonte muito versátil, bem flexível e solta. Utilizada em títulos e publicidade em geral.

Trade Gothic Font

Trade Gothic Font


 

Bureau Grotesque

Gótica, tem bastante variações entre compressed a extended. Dizem que é preciso ser sábio e audacioso para usá-la, mas quando conseguir vai ter bons resultados.

Bureau Grotesque Font

Bureau Grotesque Font

 

 


 

Revalo Classic

Uma fonte com variadas espessuras. Muito usada para criação de logo. Tem um aspecto leve e, ao mesmo tempo, presença.

 


 

Univers

Alguns usam ela como alternativa da Helvetica. Boa pedida para textos em geral, por sua legibilidade. Além de tudo possui 44 estilos e pesos diferentes.

 


 

Aktiv Grotesk

Já foi chamada de “Helvetica Killer”. Uma fonte sutil, mas que faz muito bem seu trabalho. Tem uma leitura clara e legível. Usada para em título ou frases impactantes. É uma bela forma de desviar da Helvetica de sempre, mas funcionando bem do mesmo jeito.

 

Dica final: Textos longos ficam muito mais legíveis e menos cansativos com fontes sem serifas. Saiba ajustar o espaçamento entre letras, poucas fontes necessitam de mais espaço do que o normal.

 

 

Curtiu? Dê RT ou deixe seu comentário.

Share

Aprenda como escolher a fonte certa – Parte 2

Discussion

9 Responses

  1. Aprenda como escolher a fonte certa – Parte 2 | Omni Design says

    […] o espaçamento entre letras, poucas fontes necessitam de mais espaço do que o normal. Fonte: Des1gn’ON Postado em […]

  2. Gabriel says

    Fontes serifadas não causam fadiga. São mais adequadas para textos longos e corridos.
    Mas o que eu acho que ela quis dizer é que num caso de texto longo, porém de leitura rápida, como uma página de revista a qual precisa de uma pequena ênfase, utilizar sem serifa é ok sim!

Leave A Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *