É Freelancer? Aprenda a Negociar e Orçar!

“Quero ser freelancer!” Beleza! Aparece o primeiro cliente e bam!! Surge a dúvida de muitos…como negociar, quanto cobrar, quando dizer “não”? Vamos te ajudar nessa!

Fuçando por ai, encontramos um guia perfeito, para os designers iniciantes ou não, que compartilha décadas de experiência para ajudar os ilustradores a se tornarem melhores profissionais, mais bem organizados e unidos. É o Guia do Ilustrador de Ricardo Antunes, em pdf e grátis. E lendo, achei bem interessante revelar boas dicas de como negociar em um primeiro contato com o cliente, como dar seu preço.

Se você vai dar um orçamento pela primeira vez, tenha a certeza de que a primeira coisa que será dita pela pessoa que o vai contratar é: Nossa verba está curta, faça um bom preço agora e daremos muito serviço depois.

Não importa o preço que você der, provavelmente ele dirá que está caro e que outros ilustradores fazem por menos, mas que ele prefere fazer com você e vai repetir o argumento: “Nossa verba está curta...

Saiba que 101% dos clientes dizem isso na primeira vez, mas não falam por mal, a função deles é conseguir um bom ilustrador, e se possível pelo menor preço. O problema é que 99% dos ilustradores acabam aceitando. Às vezes até estão mesmo com o orçamento curto, mas muitas vezes não passa de choro. Mas o chato é que quase sempre aquele trabalho que viria depois nunca aparece.

Veja 2 exemplos de conversas entre cliente e ilustrador, um diálogo bastante comum no dia a dia e que pode ser bem real:

Conversa 1:

Cliente:
– Oi, eu queria um logo pra empresa que estou abrindo. Ouví dizer que sai por uns duzentinhos. Quanto você cobraria?

Designer:
– Depende. Para o que o senhor quer o logo?

Cliente:
– Ora essa, para usar nas coisas da minha empresa.

Designer:
– Coisas…?

Cliente:
– Cartões, notas, catálogos, website, uniformes, fachada, etc.

Designer:
– Entendo, mas para quê o senhor quer por um logo em tudo isso?

Cliente (já estressado):
– Ora, para todo mundo reconhecer minha empresa, para as pessoas verem esse logo e imediatamente saberem que é minha empresa, tipo a Nike ou a Coca-Cola.

Designer.:
– Ué, mas o nome não é o suficiente? O senhor precisa gastar mais para ter um desenhinho no cartão e na fachada?

Cliente (possesso):
– Caramba, mas que diabo de designer é você? É lógico que precisa ter uma marca, um logo, uma imagem, que todo mundo vai lembrar e que vai me ajudar a vender mais. Que vou poder pôr apenas isso em um monte de lugares e vai ser o suficiente para se fazer um marketing viral e vou economizar muita grana em anúncio e propaganda. Que todo mundo vai olhar e lembrar dos meus produtos.

Designer:
– Então o senhor sabe muito bem o valor do que quer e do que está pedindo. Sabe que um logo bem feito não é só um desenhinho e que vai agregar valor a sua empresa e consequentemente aumento de vendas e faturamento. O senhor está adquirindo um produto tão importante quanto as suas máquinas e seus funcionários pois vai ser a cara, a identidade visual do seu negócio. O valor é R$ 5.000,00.

Moral da história: é importante que o cliente reconheça o valor e a importância do trabalho pedido, o que muitas vezes não acontece.

_________________________________________________________________________

Conversa 2:

– Bom dia, Luis Trador. Gostaria de saber quanto você cobraria por 2 ilustrações de um carro, para X mídias, por X períodos, mercado nacional. Mas eu preciso
de um valor agora mas com um preço baratinho, prá gente fechar já (a “pressa” é para pressionar o ilustrador a se decidir sem ter tempo para raciocinar ou fazer
uma pesquisa).

– Bom dia. Eu cobraria (o ilustrador está dando margem para um desconto, já que usou “cobraria”, ao invés de “cobro”) R$6.000,00 pelas duas, R$3.000,00 por
cada. Este valor estaria dentro da sua verba? (novamente o ilustrador dá uma brecha para o cliente negociar).

– Hmmm… minha verba é de R$4.000,00. Poderíamos fechar por esse valor (note que ele não pergunta, ele afirma). Minha verba é restrita, mas o trabalho é bem
tranquilo de se fazer (o cliente nunca diz que o trabalho será complicado nem que ele será exigente para aprovar).
Eu até tenho um orçamento de um outro ilustrador abaixo da verba, mas faço questão de passar esse trabalho para você (enche a bola do ilustrador pra pegálo pelo ego, mas colocando-o contra a parede, deixando-o inseguro).

– Ok. Fechamos então por este valor (com medo de perder o trabalho para o outro suposto ilustrador). Um abraço.

– Alô Luis. Resolvemos colocar mais ilustrações de carros, agora serão 6 (o cliente já sabia que eram 6 desde o começo). Quanto você faria pelas 6 ilustrações? Faz um desconto legal, porque nossa verba já era restrita…

– Dá pra fazer por uns R$9.000,00 (o ilustrador deu um desconto em cima de um valor já com desconto).

– Hmmm… É muito acima do que os R$4.000,00 que temos de verba. Vamos fechar por R$8.000,00, vai? Eu me viro para aumentar a verba que eu tinha. Vou
ter que falar com os sócios aqui para convencê-los a dobrar a verba, mas eu dou um jeito

– Beleza! Fechado! Um abraço.

– Alô, Luis. A verba aqui tá complicada. Cheguei até a discutir com meus sócios, porque sei o valor do seu trabalho (se mostra amigão e do lado do ilustrador).
Quanto você faz sem nota?

– Dá pra fazer por uns R$7.200,00 (nunca caia nessa, não passar nota é crime de lesa-pátria e pode dar problemas)

– Ahhh, vamos arredondar isso para R$7.000,00 e fechamos (mais um desconto conseguido).

– Beleza! (o ilustrador já está cansado e aceita tudo para fechar logo o trabalho).

– Só que não consigo pagar numa tacada só. Dá para quebrar em 3 vezes? (ele já chuta alto).

– Aí não dá. Dá pra fazer em duas no máximo (o Luis Trador acha que está sendo
durão na negociação).

– Fechado! Vai ser um prazer trabalhar com um profissional como você (enchendo mais um pouco a bola do ilustrador).

Moral da história: O Luis Trador fechou 6 ilustrações por R$7.000,00 (R$1.166,00 cada), quando o valor inicial seria de R$18.000,00 (R$3.000,00 cada). Ele vai
trabalhar mais e ganhar menos.

_______________________________________________________________________

Para quem não tem noção de como fazer um orçamento, veja um modelo bem prático com as informações básicas que deve constar:

Informações e textos retirados do Guia do Ilustrador, baixe aqui.

Curtiu? Comente e compartilhe! ;)

Share

É Freelancer? Aprenda a Negociar e Orçar!

Discussion

14 Responses

  1. Fred Bueno says

    Muito bacana este post. Infelizmente é assim que as coisas acontecem. Muitas vezes por insegurança, o freelancer acaba pagando para trabalhar. Acredito que temos que saber antes de fazer um orçamento, qual é o valor real do nosso trabalho e do nosso tempo. E quem não entender, que procure outro profissional q aceite tais condições.

    1. admin says

      Valeu Fred! Pior que é a realidade, e tem cliente que se aproveita disso, da insegurança do freelancer. Concordo com você plenamente.

  2. Eric Belinelli says

    é exatamente assim, muitas vezes isso acontece pelo fato do freelancer não saber o valor do seu trabalho, e acaba se jogando na primeira oportunidade.
    e concordo com o Fred Bueno

    1. admin says

      Acontece principalemnte com quem inicia a carreira…fato. Espero que ajude os freelancers a conhecerem melhor como é lidar com clientes!

  3. Uma coisa que me deixa meio triste é que normalmente um cliente quer algo sempre barato, não se preocupa com o teu esforço, com o que você pode apresentar, a única coisa em pensamento é o desconto.

    Um ótimo exemplo foi aquela primeira conversa, mostrar para o cliente o valor que é uma marca e que normalmente não é tão barato, até pelo tempo que um designer demora pra fazer algo e entregar para o cliente visando a qualidade e satisfação do mesmo.

  4. Murilo Estrela says

    Muito bom esse Post, e essa é uma situação complicada principalmente para quem está começando, que é o meu caso.

  5. Diego says

    É exatamente isso que muitos novatos tem que entender, que não se pode começar ganhando 3000 mil reais por imagens, todos, primeiro, terão de saber que você realmente tem valor e capacidade de criar algo inusitado, para enfim conseguir, com o tempo, a ter lucros. :)

  6. Luciano Andrade says

    Por mais que você valorize o seu trabalho e tenha consciência completa disso, você não orça R$ 3000,00 para todos os clientes. Esse seu exemplo parece mais real para um ilustrador com uma carreira consolidada do que para quem está começando, ou para o tipo de cliente que o projeto será desenvolvido. Há situações muito diferentes. Recomendo a pesquisa de orçamentos com a associação dos Ilustradores e uma consultada na tabela da Adegraf (que também é irreal em mais de um momento, por preços mais altos ou mais baixos). A pior parte dos mundos da ilustração – design são esses: ninguém sabe pra que lado corre quando começa a fazer os primeiros freelas. Não há com quem nivelar.

  7. lorival vighy says

    Na verdade, não há que se nivelar…pois os trabalhos de ilustração requerem aplicação de conhecimentos únicos, vivencia pessoal, técnicas próprias, etc…pois cada ilustrador tem sua visão do mundo e das coisas…não só os profissionais, como qualquer pessoa…Peça para que duas pessoas façam um traço, e sairão dois traços completamente distintos…O contrato será fechado de acordo com a confiabilidade que o cliente deposita naquele ilustrador especificamente…Por isso, tabela de preços só ferram a vida dos profissionais…

  8. Bell Mityshu says

    Oi AgataYana!! lol
    Encontrei esse maravilhoso blog/site procurando quanto cobrar o primeiro trabalho frelancer!!
    E eu confesso que esclareceu bastante algumas dúvidas, contudo ainda tenho dúvidas sobre tal!!
    Pois, eu não sou formada em design mas, eu desenho a bastante tempo e mesmo assim posso cobrar tal preço????
    Mesmo sendo arte tradicional? (lápis de cor, aquarela, nanquim)
    E digital a mesma coisa? Tipo, mesmo não sendo formada?
    Isso não atrapalha?

    Espero que possa tirar minhas dúvidas, ficarei aguardando resposta!!
    Beijos!! º 3 º)~

    1. AgataYama says

      Olá Bell, o preço a ser cobrado é de acordo com sua experiência e entendimento sobre o assunto. Quanto mais o designer sabe e entende, mais ele pode cobrar. Mas nessa área os valores variam bastante de acordo com o tipo de trabalho e o cliente (grande, média ou pequena empresa). Muitos cobram a mão de obra por horas trabalhadas.
      Acredito que é muito importante que você tenha formação no área de trabalha, significa que você está fazendo seu trabalhos baseado em estudos e treinamento, e assim pode garantir qualidade e sucesso. Então estude bastante! ;)

  9. Paulo Tesla says

    ola AgataYama, td bem?
    Até então não conhecia seu site, pode ter certeza que apartir de agora vc tem um novo fã. Achei muito interessante essas perspectivas e faz com que nós iniciantes neste mundo das artes gráficas venhamos abrir nossos olhos esses tipos de situações.
    sucesso gata.

Leave A Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *